Xingar Dilma na final da Copa: tem preço

dilma

Pessoas e partidos populares sempre representaram extremos antagônicos de amor profundo e ódio profundo. No Brasil, por exemplo, Brizola e Lula. No exterior, Fidel Castro. Houve e continua havendo quem morresse por eles. E igualmente quem não pode ouvir o nome. O ponto de ligação aparente parece estar na ideologia. No caso, esquerda e comprometimentos populares. Há quem ame isso. Há quem odeie.

Este ‘amor profundo’ é em grande parte explicado por uma resistência ao pensamento capitalista conservador, visando a se quebrar velhos padrões e melhorar o nível em atendimentos sociais. Já o ódio profundo está no seu inverso. O desespero de uma elite pela perda de privilégios. A ‘infame’ divisão do poder com camadas populares e uma redução da concentração capitalista. Todo este antagonismo poderia ser um velho clichê, mas a história do Brasil mostra que não é. Em duas palavras, ainda: esquerda e direita.

Dilma Rousseff não era uma ‘política profissional’, no sentido tradicional do termo, antes de ser, digamos, catapultada por Lula ao Poder. Mas pelo fato de ter sido ‘lançada’ por Lula, despertou amores para uns e ódios para outros. Observadores serenos veem de camarote essa psicologia social. Sobram adoração fundamentalista num lado da sociedade, e ódio quase étnico do tipo ‘não posso ouvir o nome’ no outro. Fica claro que ambos os extremos, sem qualquer maniqueísmo, são fruto de baixa reflexão.

A parcela que odeia, xingou Dilma no estádio, na abertura da Copa. No Brasil, parece não haver dúvidas, segundo pesquisas, que apoiadores de Dilma, na população, são a maioria. Mas repare que no estádio só se ouviu o coro de quem não gosta. Novamente por razões capitalistas, leia-se preço de ingresso, camadas populares não tinham condições de estar na festa. Por isto observadores teorizaram estar ali a ‘elite branca’. Não erraram, mas enfureceram. Falar em cor enfurece. Mesmo que verdadeiramente e sem qualquer preconceito.

Marcio Moreira Alves (Histórias do Brasil profundo, p. 11) já disparava: ‘Esse maravilhoso povo brasileiro, solidário e trabalhador, não merece as elites que tem.’ Era, como dizia Gilberto Freire a única grande civilização mestiça dos trópicos. Não foi nem esse povo nem essa grande civilização mestiça que babou o xingamento, a agressão.

A presidente não se intimidou em ser xingada. Fritou a fritura. Disse que irá à final da Copa. Sua presença é, obviamente, um ato político importante para o país. Pessoas minimamente instruídas, ou apenas educadas, deveriam ver assim. A televisiva ‘bonita e alegre’ parcela da sociedade que irá ao estádio e tem sido mostrada pelas câmeras, agora, tem duas opções. Ou continua a berrar palavrões contra Dilma ou mostra um mínimo de civilidade. Mesmo que uma civilidade ‘arrependida’. Seria válido e nobre. Mas estima-se que a hipótese seja difícil. Nobreza aí…

Há que se pensar globalmente, ou pelo menos se tentar. Se Dilma for xingada não será ela que sairá com cara de chuchu. Ou imagem de agressiva, truculenta e tosca. Mas a horda. Seja esta quem for.

Não se trata de Dilma merecer ou não ser xingada. Ninguém merece. A ofensa em si é a pobreza, a falência da argumentação. Se o inteligente responde com eficiência; o imbecil urra. A inteligência consegue elaborar uma vaia ou uma única palavra de ordem mil vezes mais contundente, e genial, que um xingamento.

O delicioso episódio ‘cala boca Galvão’ da Copa ou campeonato passado que chegou a inspirar imprensa e torcedores estrangeiros iludidos de que aquilo seria a proteção a um pássaro brasileiro foi cínica e simplesmente genial. E não envolveu a vulgaridade de um xingamento.

O palavrão em si, no caso de Dilma, não mete medo em pessoas adultas. Não meteu em Dilma. Ao contrário, o palavrão é um ícone cultural genuíno e valioso. Às vezes, insubstituível. Chico Anysio se referia à genialidade da contração do ‘sifu’, – fulano sifu-, uma forma inventada para dizer tudo sem dizer nada.

O problema no caso de Dilma nem é tanto o palavrão em si. Mas sua ineficácia. Dilma parece ter apertado o botão do dane-se (ou do f….). Mas contra o ofensor há efeito colateral. O atingido é o próprio xingador: a sociedade brasileira. Quem não sabe argumentar, xinga.

Se o xingamento vier de novo, ficará patente um modo atávico de grosseria de uma parcela da sociedade. A que pôde pagar os tais preços altos para a diversão futebolística.

Nem se venha com a balela de se negar que seja a tal elite branca. Basta se assistir a qualquer partida pela TV para se perceber a praticamente totalidade de brancos. Ou será que a maioria no estádio é de negros e os câmeras só escolhem brancos? É claro que há negros na festa, por outro lado, a cor da pele é o que menos interessa. Este não é o foco. A educação boa é cega. A ruim também. Há os educados e os grosseiros, seja de que cor for. Xingar é grosseria tola. Primária mesmo.

Mas xingar o próprio presidente da república num evento mundial é um pouco pior. É burrice cidadã. É mostrar, antes de qualquer coisa, ao mundo que a sociedade brasileira é grosseira. Se houvesse uma jogada como um “cala boca Galvão” para Dilma, ela poderia ser posta em xeque. Ninguém poderia se insurgir, afinal a crítica é democrática. Mas xingar é o atalho tosco. E também fácil para o ofendido dar de ombros para quem xinga. É o famoso, ‘não tô nem aí’.

O país vive uma espetacular normalidade democrática. Infelizmente a comparação histórica ainda se faz presente. Há pouco tempo xingar assim daria porrada e cadeia. Era o pandemônio esquizoide de ditadura. As gerações atuais precisam de um mínimo de história para valorizar o presente. Liberdade, ausência de carestia e inflação, crítica à vontade, o Brasil bem visto no mundo. Isso não tem preço.

Seja um presidente de que partido for, PSDB, PT, Psol etc. Não se deve xingar esta figura numa festa pública mundial. Nem em lugar nenhum. Temos que ser aquele povo amável. Repudiar o preço por este xingamento. Podemos dar um exemplo de civilidade. Como é que vai ser? OBSERVATÓRIO GERAL.

[Artigo publicado no jornal O DIA SP e site BRASIL 247]

 



Categorias:Cidadania online

Tags:, ,

3 respostas

  1. Xingar tão profundamente uma presidente é algo de anormal e que deve ser evitado a todo o custo, mas quando alguém toma como elemento comparativo o ditador fidel, o artigo perde muito do seu valor.
    Podemos afirmar que os capitalistas que mais sobressaem, são os políticos, tanta esquerda como da direita e um dos casos mais proeminentes são as grandes fazendas que a família Lula ostenta.

  2. A maior vergonha que o país já viveu!…
    Da vergonha do xingamento à vergonha real…

    Para Lula, vaias a Dilma na abertura são “maior vergonha que país já viveu”.

    Os palavrões à instituição Presidente, realmente, não tiveram razão de ser… Uma sonora vaia já seria suficiente… Porém:

    Vergonha, Lula, é sua covardia em se esconder na abertura da copa, a copa que você trouxe para o Brasil, deixando sua pupila entregue aos leões da elite…
    Vergonha é você sempre agir assim, como quando do acidente com o avião da TAM…
    Vergonha é você nunca saber de nada…
    Vergonha é você falar que Dilma era a única com cara de pobre no estádio (coisa que ela não tem)…
    Vergonha é você dizer que lá só estava a elite branca, mesmo com a presença de inúmeros de seus asseclas e a presença de duas torcidas organizadas do seu time…
    Vergonha é você ter sido racista ao dizer que lá não tinha nenhum moreninho…
    Vergonha é você dizer que essa é uma copa feita para o povo, sendo que sabia desde o início que só a elite teria dinheiro para pagar o ingresso…
    Vergonha é você fomentar o ódio de classes dizendo que só existe uma classe de trabalhadores no Brasil…
    Vergonha é você criticar a elite que acorda cedo e trabalha 12 horas por dia (coisa que você nunca fez)…
    Vergonha é sua hipocrisia, pois critica a elite ao mesmo tempo em que anda de helicóptero, toma uísque 18 anos e vinhos que ultrapassam a cifra de R$ 1.000,00…
    Vergonha é ter filhos já milionários, tão novos, sem justificarem tal patrimônio…
    Vergonha é os amigos dos seus filhos viajarem de graça no avião presidencial…
    Vergonha é o negócio escuso entre a Gamecorp e a Telemar…
    Vergonha é você manter amizade com quem considera aloprado…
    Vergonha é você dizer que Genoíno, Dirceu e Delúbio não são gente de sua confiança…
    Vergonha é o Genoíno e Delúbio, auto proclamados sem posses, bancarem dois dos advogados mais caros do país…
    Vergonha é você condenar a elite por xingar a presidente e se omitir quando um membro do conselho de “ética” do pt ameaça de morte o presidente do STF…
    Vergonha é você ter chamado de hipocrisia a decisão do STF de condenar os réus do mensalão e dizer que foi uma condenação política…
    Vergonha é um deputado estadual do pt fazer reuniões com membros do pcc…
    Vergonha é ver você trocando agrados com Maluf, Sarney, Collor, Renan…
    Vergonha é ouvir você dizer que em Cuba e Venezuela impera a plena democracia…
    Vergonha é você ter extraditado os pugilistas cubanos…
    Vergonha é você não ter extraditado o terrorista Cesare Battisti…
    Vergonha é saber que os assassinatos do Celso Daniel e do Toninho do pt jamais serão esclarecidos…
    Vergonha é você, Dilma e todos os políticos inaugurarem obras inacabadas ou inexistentes…
    Vergonha é saber o que você e seu partido fizeram com a Petrobras…
    Vergonha é você praticamente ter duplicado o número de ministérios para acomodar seus prosélitos…
    Vergonha é você se orgulhar de não ler e de não ter estudado…
    Vergonha é você enganar o povo com seus discursos dissimulados…
    Vergonha é sermos taxados com impostos escorchantes e não termos nada em troca…
    Vergonha é o sistema de saúde no Brasil… (você sabe bem disso, pois trata sua saúde no Sírio Libanês como todos da elite branca)…
    Vergonha é o que a população brasileira enfrenta todos os dias com transporte público precário, saúde deplorável, educação e segurança inexistentes…
    Vergonha é ter tido você como nosso presidente…
    Vergonha é tua intermediação entre a OAS e Governo da Costa Rica…
    Vergonha são os empréstimos que você fez a países bolivarianos e socialistas sem garantias…
    Sou cirurgião dentista formado pela UNESP, especialista pela USP, literalmente um membro da elite branca que acorda à 5:30 para ir trabalhar, paga impostos rigorosamente em dia e faz, dentro de suas possibilidades, o possível para aplacar o sofrimento dos menos favorecidos.

    VERGONHA E’SER TERRORISTA E ESTAR SOLTA!!! GUERRILHEIRA, ROUBOU A CASA DO ADHEMAR DE BARROS, ASSASSINOU E AGORA E'[PRESIDENTE DE UM PAIS BANANEIRO!!!

<span>%d</span> blogueiros gostam disto: