Entrevista com a fonoaudióloga

Atraso para falar, gagueira, rouquidão. Fonoaudiologia: o que é, para que serve, a relação com a criança. Informações, conselhos, dicas valiosas e mercado de trabalho nesta entrevista exclusiva com Renata Strobilius Alexandre, mestra pela Unifesp.

image

OG – O QUE É A FONOAUDIOLOGIA E COMO ELA SE APLICA NA VIDA DAS PESSOAS E DAS CRIANÇAS?

Renata Strobilius Alexandre – A fonoaudiologia é uma ciência que estuda a comunicação e as funções dos sistemas auditivo, fonatório e estomatognático. Isso engloba o estudo dos distúrbios, das alterações e do aperfeiçoamento da fala, comunicação, leitura, escrita, audição, equilíbrio corporal, voz, respiração, mastigação e deglutição.

Os motivos mais comuns que levam as pessoas a procurarem os fonoaudiólogos são: atraso para iniciar a fala, trocas na fala, gagueira, distúrbios de leitura e escrita como a dislexia, rouquidão, perda da comunicação (por exemplo, por um problema neurológico), dificuldades auditivas (para avaliar a audição, adaptar aparelhos auditivos e reabilitar a comunicação), respiração oral, má postura de lábios e língua durante a fala ou mastigação, disfagia (perda das habilidades de mastigação e deglutição), dentre vários outros.

OG – QUAIS OS CUIDADOS PRINCIPAIS DOS PAIS EM RELAÇÃO À FALA DO FILHO E QUANDO ESSES CUIDADOS DEVEM SER INICIADOS?

Renata – É muito importante incentivar a comunicação da criança em todas as idades. Evite gírias, tente utilizar a linguagem culta, e não exagere nos diminutivos. Imagine-se aprendendo um novo idioma com um professor que fala tudo errado, seria um desastre!

Não subestime a inteligência do seu filho! Não existem palavras fáceis ou difíceis para uma criança, é claro que ela vai demorar mais para falar as palavras compridas e de articulação mais difícil, mas ela compreenderá muito antes de ter habilidades de fala.

Os cuidados com a audição também são importantes. Nunca deixe um bebê tomar mamadeira deitado, isso favorece a infecção de ouvido, que é a principal vilã do desenvolvimento auditivo. Ao menor sinal de que a criança não está escutando bem (pede muito para repetir, ou fica muito desatenta) procure um otorrinolaringologista e um fonoaudiólogo para fazer o exame de audição. Existem diferentes tipos de exame de audição, que atendem a todas as idades, nenhuma criança é muito pequena para ser avaliada!

OG – QUAIS SINTOMAS DEVEM LEVAR OS PAIS A PROCURAR UM PROFISSIONAL DE FONOAUDIOLOGIA?

Renata – Há alguns marcadores importantes no desenvolvimento da criança que devem ser observados, como: iniciar a fala por volta de 18 meses; falar de forma inteligível aos 4 anos (mesmo que ocorram pequenas trocas); falar corretamente todos os fonemas por volta dos 5 anos.
Os problemas de leitura e escrita podem indicar a necessidade de um fonoaudiologo.
A audição também requer atenção: crianças que pedem freqüentemente para repetir, ou que não compreendem bem as ordens devem realizar avaliação auditiva. Alias, toda criança deveria fazer uma audiometria na fase de alfabetização. A audiometria é um exame simples, mas muito importante já que problemas de audição mesmo que leves podem prejudicar muito o desenvolvimento da criança.

OG – COMO A FONOAUDIOLOGIA SE RELACIONA COM A MEDICINA?

Renata – Ao contrário do que muitos pensam a fonoaudiologia não é uma especialidade médica: fonoaudiologia e medicina são duas profissões diferentes. Os dois profissionais devem trabalhar em conjunto para atender integralmente o paciente.

OG – COMO ESTÁ O MERCADO DE TRABALHO HOJE PARA O JOVEM FONOAUDIÓLOGO?

Renata – O mercado de trabalho tem melhorado a cada dia, com o maior reconhecimento da profissão. Existem hoje muitas vagas principalmente para profissionais especializados em audiologia (para diagnóstico da audição e seleção e adaptação de aparelhos auditivos) e em disfagia (distúrbios de deglutição que acometem principalmente doentes neurológicos e idosos). A remuneração ainda não é muito boa para o profissional contratado pela CLT ou funcionário público, em geral os profissionais empreendedores, como em qualquer profissão, têm proventos melhores.

  • Renata Strobilius Alexandre, fonoaudióloga CRFa. 11685, mestre em psicobiologia pela Universidade Federal de São Paulo – Escola Paulista de Medicina (UNIFESP/EPM) em 2012; especialista em medicina comportamental em 2003; graduada em fonoaudiologia pela UNIFESP/EPM em 2000. Contato: email: rstrobilius@hotmail.com / renata.strobilius@unifesp.br
Anúncios


Categorias:Saúde

Tags:, , , , , , ,

%d blogueiros gostam disto: