Vamos fazer uma revolução ou “Paremos de produzir o capitalismo”

livroBoris Kierkegaard. Recém lançado o livro “Fissurar o capitalismo”, publicado pela Editora Publisher Brasil, do pensamento do irlandês John Holloway, advogado, filósofo e economista de linha marxista. É formado em Ciência Política pela Universidade de Edinburgh.

É oportuno o presente livro neste momento de revoltas, onde as autoridades “varonis” no Brasil fingem não saber o que se é reivindicado pelas constantes e repetitivas idas às ruas do povo.

Sendo reconhecido no mundo pela abordagem “zapatista” e demais movimentos, revoluções ou indignações que eclodem a cada momento, e agora no Brasil sem que o Governo assuma junto ao público e no mínimo reconheça em assumir responsabilidade pela própria omissão e apatia.

No momento em que a ideologia é retomada na filosofia, via Zizek, resgatando Hegel, Kierkegaard, Marx e Lacan há espaço para volta da alteridade e como diz John Holloway; “…Criemos fissuras (no capitalismo) e deixemos que se expandam, deixemos que se multipliquem, deixemos que ressoem, que fluam juntas”.

Enfim, que cada um de nós faça o que nos cabe (o nosso papel) no texto do livro: “lutemos a partir do particular, lutemos onde estamos, aqui e agora.” E acrescenta: “mudar o mundo sem tomar o poder”.

Parece dizer: vamos mudar para acabar com o circo para o povo, mas isso encontramos aqui no Brasil via as revoltas e de todas as idades e que se encontram in thestreets brasil.

Uma boa leitura para a semana que antecede o dia da independência do Brasil.

Muda Brasil!

BorisBoris Kierkegaard – OG.

Anúncios


Categorias:Cultura

Tags:,

1 resposta

  1. “É oportuno o presente livro neste momento de revoltas, onde as autoridades “varonis” no Brasil fingem não saber o que se é reivindicado pelas constantes e repetitivas idas às ruas do povo.

    Sendo reconhecido no mundo pela abordagem “zapatista” e demais movimentos, revoluções ou indignações que eclodem a cada momento, e agora no Brasil sem que o Governo assuma junto ao público e no mínimo reconheça em assumir responsabilidade pela própria omissão e apatia.”

    Ué, quem gere o Capitalismo é o governo? É mesmo??? E quanto às reivindicações indignadas, você se refere às do ‘#giganteacordado’ ou às induzidas por partidos que querem chegar ao poder por essa via (estilo ‘Ocupa’, p.ex.)?

    I really would like to know!

%d blogueiros gostam disto: