Vida longa ao Fashion Inclusivo, com ou sem Iguatemi

fashion-inclusivoO “Fashion  Inclusivo”, valioso projeto que patrocina eventos com crianças com síndrome de Down não foi convidado este ano para um desfile de moda no Shopping Iguatemi, em Brasília. Uma primeira reação geral é se ligar o fato à discriminação. Mas há outros questionamentos possíveis. Matéria do “Diário do poder”, transcrita abaixo, relata constrangimento de alguns pais. Pessoas que comentaram na internet teceram críticas ligando a não participação a algum tipo de preconceito. Pode ser. Mas se é um “desfile de moda”, há um padrão. Modelos profissionais, com certa altura, peso etc. Obesos, idosos, crianças, estatura baixa, também não se enquadram no “perfil” e nem por isso há discriminação. Há questionamentos que devem ser enfrentados com naturalidade. Nem todo desfile do mundo, agora, terá que ter Downs para se mostrar “inclusivo”. Ou será que o tema virará “cota”, como a cota dos afrodescendentes? O fato é que há um “politicamente correto” na sociedade autoritária e conservadora, como a brasileira, querendo ver preconceito em muitas coisas. O OBSERVATÓRIO GERAL se “arrisca” a opinar no tema. Tarefa “perigosíssima” diante do patrulhamento social que há, com cobranças e até ofensas a quem ousar questionar certos modos. Por outro lado, pede-se licença para se informar que quem escreve este editorialzinho, é um orgulhoso pai de uma Down, linda, amada, maravilhosa e “Bárbara”. A luta contra discriminação e a favor da inclusão dos Downs, passa ao largo de um desfile de moda em Shopping Iguatemi; em Brasília. Mas muito ao largo.

[Imagem Blog Chico Sant’Anna; Colaboração de pauta José Marcio Silva].  OBSERVATÓRIO GERAL.

Crianças com Síndrome de down não desfilarão no Iguatemi

[Diário do Poder]. Tradição nos desfiles de moda de Brasília, o grupo de crianças com Síndrome de Down, Fashion Inclusivo, foi vetado de participar do evento produzido pelo Shopping Iguatemi deste ano. Pais dos meninos e meninas que, por dois anos, eram convidados desfilar nas passarelas entenderam a barreira como uma exclusão aos garotos e garotas com necessidades especiais.

Ao passar a decisão do Iguatemi aos pais das crianças, a coordenadora do projeto Fashion Inclusivo, Angela Ferreira, sentiu o constrangimento de anunciar o retrocesso. “Eles ainda disseram não ter espaço para as crianças que nos últimos dois anos desfilaram em meio aos outros, como exemplo de inclusão”, contou.

Apesar da rejeição no evento do Iguatemi, as crianças vão poder mostrar o talento nas passarelas no Senado, em evento programado para 3 de dezembro deste ano. Procurado, o Shopping Iguatemi alegou – por meio de assessoria de imprensa – que o evento é de iniciativa do shopping e confirmou que neste ano as crianças com necessidades especiais não participariam.

Anúncios


Categorias:Cidadania online

Tags:, , , ,

1 resposta

  1. Ah os preconceitos… Conseguirá, em alguma etapa, essa sociedade reproduzida e reprodutora vence-los algum dia?

%d blogueiros gostam disto: