Manifestantes: de ícones sociais a bêbados de democracia em 90 dias?

A bela criatividade da moça não venceu a bestialidade dos depredadores

A bela criatividade da moça não venceu a bestialidade dos depredadores

Careta e conservador é quem depreda! O povo pacífico brasileiro continuou pacífico, em casa, no último 7 de setembro. Avaliação dos depredadores de que o povo iria se juntar a eles foi burra. Saiu perdendo o movimento de massa que podia ter exigido mudanças necessárias contra décadas de governos corruptos. O risco agora é de uma fissura institucional no ato de protesto no Brasil: entre as manifestações pacíficas e a truculência dos depredadores. O povo disse “não” à depredação, mas “sim” às manifestações.

7 set batmnam

O povo é o verdadeiro super-herói

 

Mas há um questionamento central que não quer calar, envolve cultura, psicologia social e história :  “por que depredar?”

7 set av paulista sp

Qual a ideologia, teoria ou fundamento válido aí?

 

O “por que depredar?”, aqui, não carrega juízo de valor negativo sobre a depredação, apenas busca entender. Numa tentativa de se exaurir hipóteses, dando-se tratos a bolas, depreda-se “porque” (qual seria a hipótese menos errada?):

a) esses manifestantes são vândalos e faz parte do vandalismo apenas quebrar e danificar, por diversão violenta;

b) há uma teoria subjacente e se quer mostrar um patamar de revolta social e, para se ser ouvido e visto, atos violentos são necessários, daí os próprios “teóricos” pegam em artefatos para depredar;

c) os manifestantes são agentes infiltrados de alguma oposição que querem passar a ideia para o povo em geral que o próprio povo está descontente;

d) são anarquistas e contrários a ordens, sistemas e governos e por isso tentam passar seu recado com algum tipo de violência;

e) há um instinto dolosamente criminoso nesses manifestantes, em efeito manada, e o crime acessível é o crime de Dano;

f) há uma idiotização desses grupos, apoiados apenas pelo sentido de desordem.

 

7 set sp

A polícia não “sofre” com isso; a resposta social é o berro, não o ferro

 

É claro que essas hipóteses são uma tentativa apressada de leitura social. Fica de fora a justificativa de que a depredação seria algo positivo para a sociedade. Ninguém em sã consciência defenderia o modelo. Mas há mais: todo vândalo é um “imbecil”?

No dicionário Aulete digital, “vândalo” tem por etnologia “Que diz respeito aos vândalos, povos bárbaros que deram o nome à Andaluzia e se estabeleceram ao norte da África”. É conceituado como: “Bárbaro, selvagem, que não tem cultura” e pessoa “Que destrói despropositadamente o que não lhe pertence.” Já para imbecil há: “Que não tem inteligência; idiota; tolo”.  Parece não haver dúvida que vandalismo é algo bastante imbecil. É o avesso da imagem abaixo, do professor que expõe lucidamente sua opinião frente ao caos.

7 set rio

Aí o discurso válido que muitos querem e apoiam, o pensador pacifista, o produtor de saber, o exemplo a ser seguido

 

É uma pena que a bela e maciça manifestação iniciada no Junho de 2013 possa ser “tomada” por depredadores. Violência e criminalidade são meros casos de polícia. A polícia nas comemorações do 7 de setembro parece ter se preparado mais, salvo incidentes que continuam a existir, como as inexplicáveis agressões a jornalistas.

7 set 13 bsb

A imagem odiosa e mais injusta: o jornalista covardemente agredido pela polícia

Até a imprensa, invariavelmente companheira de toda e qualquer manifestação, protesto e movimento social se viu vitimada, com jornalistas agredidos, pela polícia, ou acidentados.

 

7 set bsb

O intolerável, o absurdo

As “Ruas” talvez tenham perdido a condição de aglutinar a massa, com o medo da violência real dos depredadores. Se for isso será retrocesso avassalador. Só o tempo dará a conta a se pagar pelo prejuízo de um tão “bem” prometido 7 de setembro por manifestantes, e uma agitação oca, marcada pela ausência de qualquer base ideológica ou fundante.

Se há um porre de democracia com bêbados de manifestações isso precisa ser curado rapidamente. Os governos corruptos apostam na marola, uma Câmara previsível, e absurda, “absolveu” Donadon. O povo precisa mostrar maturidade para cobrar e exigir seriamente de cara limpa, ou mascarada, não importa. OG.

[Imagens site G1; legendas OG]

 

 

Anúncios


Categorias:Ruas & Internet

Tags:, , , , , ,

1 resposta

  1. Eu não tenho nenhum problema em formular um juízo de valor sobre os caras que jogam pedra na democracia: são uns estúpidos, para os quais não há teoria possível de ser aplicada

%d blogueiros gostam disto: