Escolha a sua frase e ‘feliz’ 2016

feliz

Imponha-se coisas, mesmo que preguiça, vagabundagem de melhor qualidade, gargalhadas, comilanças e delícias.

Observe mais antes de julgar, opinar, atravessar a fala do outro e querer vencer pelo argumento.

Fique mais longe do outro nas filas, dê mais espaço à individualidade, não apresse quem está à sua frente.

Pratique gentileza, com premeditação, equilíbrio e elegância funcional, goste de aceitar o outro como ele é.

Critique, severamente se for o caso; a honestidade intelectual não aceita o farisaísmo ou a hipocrisia.

Melhore.

Ame, qualquer um, diga ‘eu te amo’ para qualquer um, esta frase não tem exigências para o uso.

Acalme-se em situações que até hoje você se enervou e percebeu, isto poderá ser a sua melhor inteligência.

Admire e reconheça o outro em suas genialidades, declare publicamente seu reconhecimento e goze com isto.

Beije mais, abrace mais, se esfregue mais no seu amor, namore, mime, cuide, enfeite-o e brinque com ele.

Seja informal, chame o outro de ‘você’ com amor em vez de um ‘senhor’ careta, autoritário e distancial.

Ame.

Aprenda com quem tem para ensinar, ensine quem precisa de você, tudo com naturalidade.

Respeito é não atrasar na hora marcada, pagar em dia, cumprir o combinado, não achar que engana.

Seja mais racional, objetivo, calculista e ético, refute demônios e outras palhaçadas do obscurantismo ignorancial.

Aprenda a lidar com o diferente, seja o maluco, o doidão, o deficiente, o egoísta ou o perverso.

Perceba que o mundo é muito grande e cada pessoa é, mesmo, um universo de experiências e desejos.

Ajude.

Cheire mais, tudo, comidas, bebidas, pessoas, roupas, lugares e instantes, aguce-se, interesse-se.

Pratique novas atividades, você não precisa ser ótimo em apenas uma única coisa, isto é uma grande mentira.

Encante, desenvolva maravilhosamente qualquer coisa genial, isto pode ser um prazer seu, para você.

Use mais a inteligência e o conhecimento, e menos a intolerância.

Não reaja, pode até se vingar depois, mas na hora a reação é sempre pior, salvo sobrevivencialmente.

Informe-se.

Não se preocupe em ter apenas pensamentos ‘corretos’, o defeito e a insanidade pertencem à humanidade.

A loucura, o desespero e a dor em muitos casos são lógicos, mas procure dimensioná-los racionalmente.

Amplifique as amizades, os coleguismos, a fraternidade entre conhecidos, torne-se muito melhor.

Seja e dê verdadeiros sinais de confiabilidade, torne-se presumivelmente honesto para as pessoas.

Valores são um patrimônio cultural de cada um, tenha os seus e trate sempre de melhorá-los, atualizá-los.

Tente.

Cuide de o que você diz, a linguagem e o seu uso são traços de personalidade de cada um.

Seja você em sua essência, com ou sem palavrão, se precisar use o ‘foda-se’, não tema, seja adulto.

Leia, mesmo que o livro tenha saído da moda e o conhecimento e a intelectualidade tenham se tornado raridade.

Politize-se, instrua-se socialmente, procure bons pensadores, não seja o ‘analfabeto político’ de Brecht.

Conheça os seus direitos, não para se tornar um consumidor chato e reclamão, mas alguém instruído e sábio.

Cumpra.

Medite seriamente antes de decisões importantes, ouça pessoas experientes, faça a coisa certa para você.

Cultive amizades com idosos inteligentes e maravilhosos que têm histórias e sabedorias.

Observe o medíocre, o maldoso, o perverso, o sem noção e o imbecil, eles existem e causam danos sérios.

Evite o pensamento piegas, o conservador autoritário, retrógrado, tente não envelhecer mentalmente.

Interesse-se por coisas ‘inexplicáveis’ para sua velha geração, mesmo que lhe pareçam estranhas, informe-se.

Filosofe.

Questione rebaixamentos, subserviências, temores e reverências a mitos, deuses e pregadores, use inteligência.

Ande mais a pé, com passos rápidos, suba mais escadas, alimente-se menos, mantenha-se magro e com saúde.

Não buzine no trânsito, aceite ser ultrapassado pelo outro, mesmo que ele ache o pênis dele maior que o seu.

Assuma o que você é, patricinha, executiva, fútil, capaz, genial, preguiçosa ou tudo ao mesmo tempo, mas assuma.

Não tema as contradições, elas às vezes são essenciais, além de deliciosas e reconfortantes.

Maravilhe.

Não tema a irrazoabilidade, uma mente uisquezada, às vezes, produz poesias e verdades belíssimas.

Possua no mínimo um livro de Filosofia, pode ser ‘O anticristo’, de Nietzsche, e leia qualquer página, sempre.

Confie gratuitamente no outro, de modo inteligente, a desconfiança prévia é uma mazela tosca de pessoas toscas.

Ria mais de você, zombe-se e critique-se à vontade, conheça-se buscando no outro saber quem é você.

Para ser bom e honesto você não precisa ser domesticado, rebaixado ou se tornar subserviente a um deus.

Não tema o que podem dizer de você, lamba a crítica, somos o que dizem de nós. Não se vive isolado no mundo.

Ame profundamente, todos e qualquer um, até os chatos, mas fuja deles.

Evite apertar mãos, informe-se, é um dos grandes transmissores de bactérias; onde será que você pôs a sua?

Não se esqueça, ame, com todo o seu corpo, de se lambuzar.

‘Feliz’ 2016.

OBSERVATÓRIO GERAL

[Artigo republicado no BRASIL 247]

Anúncios


Categorias:Cultura

Tags:, ,

%d blogueiros gostam disto: